Páginas

segunda-feira, 29 de março de 2010

Resposta do Oscar

O Oscar também passou por aqui e deixou MAIS informação.
Desculpem a demora estava OFF LINE por alguns dias.
Mas agora estou de volta bjsss




Nome: Oscar Calstrom

Blog: Crônicas de um ex-gordo

Idade: 32

Já operou? Sim, há 5 meses

Qual o tipo e Cirurgia?

Fobi-Capella (Y de Roux) com anel

Quanto tempo pensou, pesquisou, estudou, analisou antes da cirurgia?

Depende. Desde a primeira vez em que eu tive contato com a idéia, foram 5 anos. MAS, desde que eu comecei a pensar seriamente a respeito, foram 6 meses. E deveria ter sido menos. A vida segue melhorando.

Como foi quando decidiu operar?

Foi tranqüilo. Eu me informei bastante, falei com trocentos médicos diferentes, decidi fazer com o Dr. Gustavo Sevá e comecei a preparação. O único momento em que eu tive receio foi quando a minha internação foi prolongada devido a um atraso na cirurgia anterior. Mas, como eu disse pra mim mesmo, eu não podia deixar duas horas de paranóia minarem meses de preparação. E lá fui eu...

Contou para alguém? Quem? Qual foram as reações? Alguma reação negativa para você?

Eu falei com toda minha família, primeiro com minha esposa, depois com minha mãe, pai, irmãos e amigos. Nem todo mundo concordava, mas todos me apoiaram. Na verdade, eu tenho muita sorte no que diz respeito à família.

Como reagiu diante das reações?

Com certeza de que eu estava bem informado e confiante. Apesar de todo mundo ter ficado ao meu lado, só a minha segurança é que fez com que todo o projeto fosse adiante, já que só a Paula era incondicionalmente a favor da cirurgia.

Passou por alguma situação constrangedora? Se sim qual?

Durante a preparação? Acho que não. Fora as que os obesos são submetidos cotidianamente, como quebrar cadeiras de plástico em lanchonetes (umas 3 ou 4 vezes), jamais conseguir achar uma calça decente sem ter que garimpar em 300 lojas e ver as caras dos vendedores dizendo "Aqui não tem nada do seu tamanho", e coisas assim...

Algum conselho para quem ainda não operou referente á opiniões, conselhos, recomendações de pessoas leigas?

Ouça três pessoas:

- Seu médico: Confie nele. Se você não confia, ainda não achou o médico certo. Saiba que ele está fazendo o melhor para você. Qualquer dúvida, marque outra consulta com outro médico. E outro. E mais outro.

- Você mesmo: Se você esta confiante, nada nem ninguém deve abalar a sua decisão. Se abalar, tire um tempo para pensar, mas não porque alguém simplesmente falou que era contra, mas para que a SUA certeza se solidifique. Lembre-se, o corpo é seu, a decisão também deve ser. Mas não pense muito tempo para não ficar com a cabeça chei de minhocas.

- A pessoa que vai cuidar de você: No meu caso, foi minha esposa. Essa pessoa será essencial para você, especialmente no primeiro mês. Ela precisa estar comprometida e sintonizada com todo o processo. É a única pessoa "leiga" cuja opinião realmente importa, pois ela vai cuidar de você, e vai ser trabalhoso. E você não vai estar em posição de ajudar em quase nenhum sentido, muito menos de ser um apoio moral para ela. Saiba e faça ela saber por tudo o que você vai passar, de preferência conversando com pessoas que passaram pela cirurgia ou lendo a respeito em revistas, livros, sites, blogs (por exemplo, o crônicas...).


Se estas três pessoas estiverem comprometidas, não tem o que dar errado. Outra dica simples que teria tirado muita caraminhola da minha cabeça se eu tivesse feito (mas não fiz), é: Almoce com um operado. Eu tinha pânico de imaginar um prato ridiculamente pequeno pro resto da minha vida. Esta não é a realidade. É lógico que eu como BEM menos, mas não é uma quantidade assustadora. Juro.

Acho que é isso. Espero ter ajudado.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Resposta da Cris


Minha chará Cris passou por aqui e respondeu as perguntinhas também.

Obrigadas meninas está ajudando muito bjsss.


Nome: Cris Fênix

Blog: Hoje sou uma mariposa, amanhã serei a borboleta

Idade: 36

Já operou? Sim, há 7 meses

Qual o tipo e Cirurgia?

By Pass sem anel

Quanto tempo pensou, pesquisou, estudou, analisou antes da cirurgia?

Alguns meses, eu estava tão ruim (minha saúde, alto estima, minha vida) que não tive dúvidas quanto a necessidade da realização da cirurgia.

Como foi quando decidiu operar?

Começei a ler tudo sobre o assunto (minha psico brinca que daria para eu escrever uma tese) e com todo essa informação a decisão foi bem tranquila.

Contou para alguém? Quem? Qual foram as reações? Alguma reação negativa para você?

Como é do meu jeito, eu apenas comuniquei que ia fazer a cirurgia (mesmo para o meu marido), por que na verdade minha decisão já estava tomada. Primeiro falei com meu marido, depois com minha mãe. Eles ficaram com medo, mas aos poucos fui passando boa parte de tudo que eu havia aprendido sobre a cirurgia e eles ficaram mais tranquilos.

Como reagiu diante das reações?

Eu estava muito certa do que queria fazer (nunca tive dúvidas ou arrependimentos) então foi tudo tranquilo.

Passou por alguma situação constrangedora? Se sim qual?

Quando era obesa móbida? Sim, entalar na catraca do ônibus, só consegui voltar a pegar ônibus novamente a pouco tempo.

Algum conselho para quem ainda não operou referente á opiniões, conselhos, recomendações de pessoas leigas?

Se informe, se informe, se informe. Leia sobre o assunto (antes, durante e depois), converse com outras pessoas que já passaram pelo cirurgia (estou a disposição para quem quiser conversar), pesquise sobre médico que vai te operar (procure referências). Se você fizer isso, o processo fica muito mais tranquilo e você vai para a cirurgia certa da sua decisão.

Vou reinterar o que a Dani e a Carol disseram: a cirurgia não é a solução para a obesidade, é uma ferramenta para ajudar o obeso. A cirurgia não opera milagres, se você come mais do que deve pode passar muito mal e com certeza vai engordar com o tempo. Tem que seguir direitinho as orientações do médico e de toda a equipe multidisciplinar. O trabalho médico e da equipe é apenas uma parte do processo, o mais importante vai depender de você.

Sempre digo que não é só o corpo que muda, a cabeça muda também. Hoje em dia me respeito mais e aos poucos estou aprendendo a me enxergar e me amar, como pessoa e como mulher.

Beijos

quarta-feira, 24 de março de 2010

Resposta da Carol

E mais uma força pra gente, a Carol respondeu as perguntinhas tb. Beijos Carlo e obrigada pela força.

Nome: Caroline Carvalho

Blog: Algo de novo no mundo da Carol

Idade: 26 anos

Já operou?

Sim, fiz a operação no dia 13 de janeiro de 2010.

Qual o tipo e Cirurgia?

Foby Capella com Bypass em Y, aberta.

Quanto tempo pensou, pesquisou, estudou, analisou antes da cirurgia?

Ao todo foram 8 meses de pesquisa antes da cirurgia. Inicialmente conversei com algumas pessoas que já haviam feito, isso quando ainda estava realmente só querendo saber mais sobre a cirurgia. No segundo momento conversei com meu médico endocrinologista que me mostrou os prós e contras de uma cirurgia como esta. Então comecei realmente a pensar em fazer a cirurgia, então iniciou minhas pesquisas pela internet em vários sites, buscando sobre as diversas técnicas. Por fim, consultei um psiquiatra para fazer um acompanhamento específico e ele quem me indicou a fazer o blog, como parte do tratamento mesmo, neste momento conheci um universo vasto de informações e percursos o que foi me dando amparo e entusiasmo, mas principalmente segurança e informação.

Como foi quando decidiu operar?

Foi traquilo para mim, minha mãe acompanhou todo este processo de conhecer mais a cirurgia então ela estava muito segura, minha família se mostrou simpática a minha decisão e meu namorido tem a irmã que fez e ainda uma ex-mulher, ou seja, ele já estava descolado no assunto, portanto recebeu com muita tranquilidade minha decisão. O único impasse era o que dizia respeito ao grupo de teatro que trabalho, acertar datas e tudo o mais, mas o grupo foi super carinhoso e me deu total aval de decisão quanto ao período que achasse mais conveniente fazer.

Contou para alguém? Quem? Qual foram as reações? Alguma reação negativa para você?

Olha, sou suuuuuuper falante, MESMO, e uma das coisas que o psiquiatra me disse foi "esgota o assunto" e eu levei ao pé da letra, comentava com todos, por fim foi muito positivo para mim pois conheci muitas outras pessoas que eu nunca imaginei que tivessem feito, pessoas que levam a vida normalmente e que nunca teria passado na minha cabeça que haviam feito. Acredito que para mim foi muito saudável, não me recordo de alguém que tenha feito algum comentário indesejado. A não ser depois da cirurgia... Pois as vezes algumas pessoas que ficam sabendo me fazem perguntas absurdas do tipo, "Nossa mas o que você come agora?" - como se no momento em que entrei no centro cirúrgico tivesse aceitado passar o resto da minha vida vegetando - ou ainda perguntas do tipo "Mas e você passou bem?" - e o mesmo que me perguntar se ainda estou viva, basta olhar para a minha cara e meu corpo, estou emagrecendo e estou com um sorriso de felicidade estampado no meu rosto quer mais? - por fim, prefiro pensar que as pessoas que fazem algum comentário maldoso ou indesejado não passam de pessoas mal informadas e que portanto não cabe a mim mudar a forma delas pensarem sobre este processo, afinal quem passou e está passando por ele sou eu.

Como reagiu diante das reações?

Como disse anteriormente, antes da cirurgia não passei por nenhuma situação constrangedora, já depois dela sim, as poucas vezes em que passei reagi com brincadeira, em uma das vezes inclusive respondi o seguinte: "Pareço bem? Pois saiba que viver de luz é maravilhoso, olha veja como emagreci." Resposta sem pé nem cabeça exatamente como a pergunta, preferi brincar com a situação ao invés de me aborrecer. O único momento que realmente fiquei constranquida, e nem sei se esta é a palavra mais adequada, foi quando fui com a minha família almoçar fora em um domingo, o restaurante não quis fazer preço diferenciado para mim, mas minha família colocou o gerente no lugar dele e depois fomos para outro restaurante aonde fui muito bem atendida e nem precisei pagar. A situações adversas estamos todas sujeitas, acho que o que importa é o nosso jogo de cintura para saber sair fortalecidade de momentos constrangedores.

Passou por alguma situação constrangedora? Se sim qual?

Somente esta que citei anteriormente, no resturante, mas não sei dizer se foi um momento de constrangimento, pois o que percebi somente é que existem lugares que não estão acostumandos com diversidade. Penso que os restaurantes deveriam se adaptar a situações em que recebem um gastroplastizado, com certeza daqui a algum tempo eles passarão novamente por algo semelhante e lembrarão da importância de respeitar o cliente.

Algum conselho para quem ainda não operou referente á opiniões, conselhos, recomendações de pessoas leigas?

Acredito que o mais importante é pesquisar, conversar, ir a diversos médicos e ter várias opiniões. Principalmente não fazer nada as pressas, deixe que o tempo que levar seja o melhor, pois de nada adianta correr contra o tempo e ter contratempos posteriormente. Conheço algumas pessoas que se precipitaram, realizaram a cirurgia por impulso e atualmente não consegue se relacionar bem com as mudanças, sim as MUDANÇAS, pois a cirurgia é uma mudança radical na vida da pessoa, e não estou falando da restrição alimentar somente, mas da mudança do corpo e consequentemente da mudança de imagem pessoal e a mudança psicológica. Em resumo, acredito que 10% da cirurgia é trabalho do médico, mas 90% é de quem operou, é importante ter responsabilidade sobre sua saúde, seu corpo e os bons resultados, caso contrário a cirurgia pode não ser bem sucedidade, afinal, querer que o médico entre com você na dieta, nas caminhadas, na academia é pedir demais do profissional não é?

terça-feira, 23 de março de 2010

Resposta da Dani



A Dani como sempre uma queridaaaaaa respondeu com muito carinho as perguntinhas, obrigada Dani pela força de sempre e ajuda.
Bjsss


Nome: Daniela

Blog: Miss Piggy não mora mais aqui.

Idade: 41

Já operou? sim. Há 3 meses

Qual o tipo e Cirurgia? Bypass ( Fobi Capella), sem anel por videolaparoscopia

Quanto tempo pensou, pesquisou, estudou, analisou antes da cirurgia? Pensei na alternativa cirurgia em maio de 2009. Pesquisei meses. Fui há 3 grupos de estudo e tratamento da obesidade até optar pelo terceiro médico. Levei 8 meses até operar. Estava muito bem instruída, sabia muito sobre a cirurgia.


Como foi quando decidiu operar? Normal. Estava decidida à isso. Difícil foi o marido aceitar. Ele era contra.

Contou para alguém? Quem? Qual foram as reações? Alguma reação negativa para você?

Contei primeiramente, da minha vontade, em casa mesmo. Tive uma tremenda rejeição. Tive que abortar a idéia. Depois retomei esta decisão e comecei a mostrar e explicar em casa sobre o procedimento. Arrastei meu marido para a palestra. Enfim... foi um longo percurso.
Decidí que não contaria a ninguém. Só em casa e minha melhor amiga sabiam. No dia meus sogros ficaram sabendo. Não queria preocupar. Pois, as pessoas só sabem os exemplos negativos e ruins que a mídia passa.

Como reagiu diante das reações? Não me abalei não. A cirurgia era para mim não para os outros! O que deveria ser em todos os casos!

Passou por alguma situação constrangedora? Se sim qual? No processo de perícia do plano de saúde, a moça atendente me pergunta: "Ficha preferencial?" E eu perguntei: " Para grávida?" Não eu não estou grávidaaaa é gorduraaaa mesmooo! hahahahaha

Algum conselho para quem ainda não operou referente á opiniões, conselhos, recomendações de pessoas leigas?

Primeiro pesquise, converse e analise tudo. Busque saber do médico, da equipe. E principalmente, esteja preparado para mudar de vida.
Velhos hábitos terão que mudar. E outra coisa importantíssima: a cirurgia é uma ferramenta apenas para emagrecermos. Depois a coisa é contigo. E a cirurgia não resolve outros problemas, como: amor, trabalho, dinheiro etc... Vejo muita gente deprimida, cheia de problemas e que culpam a cirurgia bariátrica. Absurdo!!! Ela não é a salvação da pátria!


Dani obrigada pela força e por ajudar. Beijossss

Estamos esperando suas respostas...

Enquete.



Ok para quem leu o post anterior á esse sabe sobre o que estou falando, e pra quem não leu é só clicar aqui.

Vai funcionar assim:

Abaixo estão as perguntas, vcs vão copiar e responder uma á uma e me enviar por e-mail, assim que receber postarei elas aqui.



e-mail: cris_angel79@hotmail.com











Questions...



Nome:

Blog:

Idade:

Já operou?

Qual o tipo e Cirurgia?

Quanto tempo pensou, pesquisou, estudou, analisou antes da cirurgia?

Como foi quando decidiu operar?

Contou para alguém? Quem? Qual foram as reações? Alguma reação negativa para você?

Como reagiu diante das reações?

Passou por alguma situação constrangedora? Se sim qual?

Algum conselho para quem ainda não operou referente á opiniões, conselhos, recomendações de pessoas leigas?





Estou aguardando





???

Olá people.

Bom de cara já aviso que provavelmente esse post será mais longo que o comum. Provavelmente porque estou em crise.

kkkk brincadeirinha, mas como toda brincadeira tem seu fundo de verdade... acredito que o fato de ESPERAR meu telefone tocar com uma ligação do meu plano de saúde ou da minha amiga que ficou de mexer uns pauzinhos me deixa um tanto enurótica ( quis dizer NEURÓTICA, olha o que a NEUROSE faz com a pessoa)

Hoje estou aqui por alguns motivos um deles é o desabafo.

Devido essa espera insana, onde me vejo com os braços cruzados sem poder fazer NADA para poder operar logo me vejo meio louca as vezes, e principalmente com algumas situações em que passo no dia a dia, e queria compartilhar com vcs e perguntar para aqueles que já passaram pela cirurgia: Vcs passaram por isso?

Então vamos lá.

Desde o início do processo da cirurgia ( consultas, exames...) conversei com meu marido e disse: NÃO VOU CONTAR PRA NINGUÉM QUE VOU OPERAR SÓ FAMÍLIA ( família se restringe á pais, irmãos, marido e uma tia que é e sempre foi e sempre será minha segunda mãe)e a reação do meu maridoco por me conhecer bem foi:

- Quero só ver, espero que não conte mesmo.

O motivo dessa decisão foram vários dos quais vou enumerar:

1 Não sei se com vcs é assim, mas comigo sempre foi, se conto um plano que tenho até mesmo para aqueles AMIGÕES que sempre confio, dá alguma zica e o plano vai por água á baixo ( Pq isso acontece? Não sei. Não sei mesmo se não fosse amigos eu entenderia, mas amigos? Vcs sabem me dizer porque?

2 Moro em uma Província de 40.000 habitantes até onde eu sei, uma cidade em que onde vc passa vc escuta:

- Não é a irmã do Tio Sam?

- Não é a irmã do Julio?

- Não é filha da Graciete?

- Não é a amiga da Gabriela?

E sabe se lá o que mais dizem depois que passo e me identificam com tais perguntas...

Pois bem, TODO mundo sabe da sua vida, TODO mundo dá pitaco na sua vida sem nem ao menos vc pedir. E é um tal de falar de vc como se fosse uma brincadeira de telefone sem fio que só por Deus.

3 Uma coisa que sempre falei. Quanto mais gente sabe, mais gente desesperada fica, mais gente tenta fazer sua cabeça para não operar. E é disso que quero falar.

Ok. Como meu próprio marido duvidou e com razão... contei para algumas pessoas sobre a cirurgia. E lembram do telefone sem fio? Uma pessoa conta pra outra. Aí vc sai um belo dia na rua para passear com sua cachorrinha, ou ir ao mercado, ou na farmácia, enfim, descontraída e de repente alguém te para e diz:

People: Oi Cris td bem?

Eu: Td e vc?

People: Td. Fiquei sabendo que vc vai operar do estômago. ( Nessa hora vem na minha mente quem foi o infeliz filho de uma Dorvalina que te contou?)

Eu super simpática: É entaum RS vou ( esse RS é bem amarelo e sem graça pq sei que essa conversa vai renderrrrrr)

People: Nossa mas vc tem certeza disso? ( Meuuuuu se eu não tivesse certeza eu ia operar? Alowww neh) Essa cirurgia é muito drástica não é? ( é uma pergunta ou uma afirmação? Vc sabe sobre a cirurgia? Se sabe MEEEESMO sabe dos benefícios né? E que cirurgia não é drástica? Hum?) Você é tão bonita ( kkkkk eu sei que sou benhééééé mas é uma cirurgia bariátrica e não plástica quem disse que vou ficar feia? Alow de novo) Porque vc não tenta um regime você não precisa emagrecer tanto (PONTO O X DA QUESTÃO Q ME DÁ ÓDIO MORTAL) CREDO Q HORROR ÓDIO MORTAL É PESADO DEMAIS.

Todas essa perguntas são bombardeadas sem direito á resposta,

A “PEOPLE” em questão acha que meu HD é de quanto para memorizar as perguntas e responder de uma vez só?

Isso é uma típica conversa de um Nogueirense que “acha” que te conhece suuuuuuper, que tem total liberdade de invadir sua vida, ou de uma “PEOPLE” que conhece seu tio, irmão da sua mãe que soube em uma conversa que eu ia operar e me para na rua para dar pitaco em minha vida urggggg detesto isso, e isso é típico de um grupo de pessoas religiosas da minha cidade mas que não vou identificá-las, só adianto que já fiz parte desse grupo de pessoas e por justamente não me identificar com elas JESUS ME LIBERTOU.

Enfim... meu pensa comigo... especificamente na ultima pergunta, vamos analisa la: - Porque vc não tenta um regime você não precisa emagrecer tanto.

Primeiro: Vc acha mesmo que com 30 anos nas costas eu não fiz nenhum regime PEOPLE? Alow meu bem, eu não fiz UM regime, eu fiz UMA CENTENA deles.

Segundo: Vc nem me conhece direito, vc sabe o quanto eu peso? Vc por acaso sabe quanto tenho de altura? Vc por um acaso fez o cálculo do meu IMC? Não né? Então não me venha dizer se eu tenho ou não que emagrecer nem o quanto eu preciso emagrecer. Você convive comigo? Sabe se eu tenho algum problema devido a obesidade? Graças á Deus não tenho mas você PEOPLE não sabe disso.

E por ultimo: Vc fez medicina? Ok sei que de médico e louco todo mundo tem um pouco.

Vocês devem estar pensando: Gentemmmm a Cris surtou, ta revoltada, estressada. Mas gentem me entendam isso não acontece UMA vez, se fosse uma, duas três vezes eu tirava de letra, mas isso é todo dia que saio de casa. Não saio muito, mas sempre vou ao mercado, á farmácia, saio com meu marido... e esse sábado foram com três pessoas em menos d uma hora. (Detesto sair de sábado nessa cidade, pq todo mundo desentoca de casa e isso me causa pânico)

Acho que vou sair na rua agora como celebridade. Disfarçada para que não me reconheçam. E com um cartão de visita na bolsa com o link do blog:

Eu fico indignada. Sei lá no mínimo me acham uma ignorante que não pesquisou nada antes, que não passou em um médico. Ou ignorantes são eles que não sabem que essa cirurgia não é assim, decidi fazer.... e faz?

No mínimo faz três anos que estudo a possibilidade de me operar. Sim três anos.

Em julho 2008 tive encaminhamento do meu endócrino, na época da UNICAMP, para comparecer á uma reunião no Ginásio da UNICAMP com o Grupo de Obesidade.

Em agosto do mesmo ano compareci á reunião e ali dei meu nome para comparecer a triagem para o grupo de cirurgia da obesidade.

Em dezembro de 2008 me chamaram para a triagem, entrei no grupo ( Se entrei no grupo através de uma triagem feita por médicos especialistas com certeza é porque eu tenho indicação certo?)

Janeiro á abril de 2009 participei do grupo de pré cirurgia da obesidade na UNICAMP, mas por motivos N parei de participar.

Setembro de 2009 adquiri um plano de saúde para poder operar.

Setembro 2009 á Fevereiro de 2010 acompanhei por sites, pesquisei pessoas que já haviam operado, médicos que operavam pelo meu plano, pesquisei sobre a integridade profissional do médico escolhido.

26/10/2009 - Reunião Equipe Pró Gastro.

05/11/2009 - 1ª consulta Cirurgião

29/01/2010 - 2ª consulta Cirurgião. Onde tudo começou de verdade.

Ou seja tem um histórico nisso tudo, não foi nada decidido assim no susto.

Enfim, era isso que eu tinha pra contar, preciso fazer almoço daqui a pouco marido tah aqui para almoçar. Mas antes... e vcs que já operaram? Passaram por isso? Vou fazer umas perguntinhas e vou postar aqui no blog e gostaria MUUUUUITO de saber de vcs como foi, assim me ajudam á me portar decentemente diante dessas PEOPLES rsrsrs.

Bjsssss e vamos esperar o telefone tocar... (suspiro)

Para finalizar um trecho da musica que tocava quando falava das perguntas da PEOPLE:

Você não sabe

O quanto eu caminhei

Prá chegar até aqui

Percorri milhas e milhas

Antes de dormir

Eu nem cochilei

Os mais belos montes

Escalei

Nas noites escuras

De frio chorei,

A vida ensina

E o tempo traz o tom

Prá nascer uma canção

Com a fé do dia-a-dia

Encontro a solução

Encontro a solução...

... Meu caminho só meu pai

Pode mudar

Meu caminho só meu pai

Meu caminho só meu pai...